AS ERVAS
ALECRIM
ALFAVACA
ALFAZEMA/LAVANDA
ARNICA
ARRUDA
BABOSA
BÁLSAMO
BOLDO AFRICANO
CAMOMILA
CÂNFORA
CAPIM LIMÃO/CIDREIRA
CAVALINHA
CEBOLINHA
CEBOLETE
COENTRO
ESTRAGÃO
HORTELÃ
MALVA
MANJERICÃO
MANJERICÃO ITALIANO
MANJERICÃO ROXO
MANJERICÃO MIUDO
MANJERONA
MELISSA
ORÉGANO
PIMENTA MALAGUETA
POEJO
SALSA CRESPA
SALSA LISA
SALSÃO
SÁLVIA
TOMILHO
TOMILHO LIMÃO

As ervas

As ervas são utilizadas tanto na medicina como na culinária há mais de cinco mil anos. São únicas, aromáticas, belas e mágicas. Seu uso como temperos já gerou guerras, já que as especiarias dominaram, durante séculos, a economia mundial. As ervas frescas podem ser utilizadas no preparo de quase todos os pratos e se tornaram as estrelas de muitos chefs de cozinha. Além de realçar o sabor dos alimentos, estimulam o tato, o olfato e o paladar. O ideal é tê-las à mão, plantadas em casa, já que colhidas na hora de cozinhar são muito mais saborosas e de qualidade superior às compradas em supermercados. As ervas produzem ação benéfica no organismo por possuírem componentes bioativos como antioxidantes, ômega 3 e 6 e fitoquímicos que previnem doenças e estimulam o sistema digestório, melhorando a digestão e a absorção dos alimentos.

Aromáticas
São as ervas que possuem aromas e/ou perfumes capazes de sensibilizar nosso olfato de modo agradável. A percepção dos aromas depende da sensibilidade de cada pessoa.

Medicinais
São as ervas cujos princípios ativos podem aliviar ou curar enfermidades. Sua utilização na medicina data de épocas muito antigas, quando o homem procurava na natureza por plantas que lhe aliviassem as dores. Por tentativas e erros, a cura através das plantas foi sendo descoberta no decorrer do tempo e o conhecimento de sua utilização passada de geração para geração.

Condimentadas
São as ervas utilizadas como tempero para realçar o sabor e o aspecto dos alimentos. Muitos pratos ganham outro sabor depois de realçados com condimentos. Alguns deles podem, inclusive, ser utilizados como conservantes.